Postado dia quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Dica da semana: técnicas para remoção de tatuagens!

postado por: Julianne Moreira


Minha amiga e dermatologista, Dra. Anna Cecília Andriolo, vem hoje dar dicas de algumas técnicas pra remover tatuagens indesejadas. Achei super legal abordar esse tema pois cada vez mais vemos pessoas tatuarem seus corpos sem pensar nas consequências. Não sou contra e até faria uma, mas teria que pensar bastante!

"Tatuar o corpo é uma forma de exteriorizar a alma."
É preciso pensar bem antes de fazer uma tatuagem. Essa decisão, em geral, não deve ser tomada de forma abrupta e apaixonada, pois os sentimentos mudam, a moda muda, os valores mudam...
E são grandes os arrependimentos! A maioria dos arrependimentos se dá por tatuagens de má qualidade (que não ficaram tão bonitas quanto se esperava), pela deformação dos desenhos com o passar dos anos, pelo envelhecimento da pele subjcente ou pelo conteúdo da tatuagem em si (como por exemplo nome de ex-namorados).
Vários tratamentos já foram utilizados na tentativa de remover as tatuagens indesejadas. Cirurgias, criocirurgias, dermoabrasão são exemplos desses tratamentos. Porém, hoje os lasers Q-Switched tornaram a remoção de tatuagens mais segura e confiável.
O laser de ruby 694nm (ex. Sinon) produz luz vermelha, com grande quantidade de energia, absorvida apenas pelo pigmento. Isso acontece muito rápido, de forma que a luz não gera queimaduras. O pigmento que recebe o laser "explode" sendo destruído. É muito bom para pigmentos preto, azul e verde. Os pigmentos vermelho, laranja e amarelo são mais bem removidos com o Dye laser e com o NdYAG 532.
O laser de CO2 pode ser usado para melhorar a qualidade da pele que está sendo tratada, de forma coadjuvante ao tratamento. Seu alvo é a água e ele age estimulando colágeno na região aplicada. Ajuda também melhorando a cicatrização.
Usa-se um anestésico tópico ou até injetável dependendo do tamanho da tatuagem, e também um resfriador, para amenizar a dor.
No pós-laser é proibido tomar sol e usa-se pomadas com antibiótico por pouco tempo. Mesmo assim, pode ficar vermelho e aparecer algumas crostas que vão gradualmente desaparecendo.
E o número de sessões  necessárias para a remoção depende do tamanho do desenho e da qualidade da tinta utilizada (só dá para perceber a medida que vamos fazendo as sessões). Em média, são necessárias de 6 a 12 sessões, com intervalo de um mês entre as sessões. As tatuagens profissionais são mais difíceis de serem removidas que as tatuagens amadoras pela maior concentração de partículas metálicas orgânica de tinta na derme profunda.
O tratamento é contra-indicado se a pele onde formos aplicar o laser estiver com alguma lesão/infecção, em casos de vitiligo ou doenças inflamatórias (devido ao laser desencadear uma reação inflamatória) e em gestantes.
O efeito colateral mais comum é a alteração transitória da cor da pele: hipopigmentação.
Portanto, deve-se pensar bem antes de realizar uma tatuagem, pois remover pode ser uma tarefa dolorosa, demorada e dispendiosa.
Fica a dica!
Dra. Anna Cecília Andriolo
Dermatologista
CRM SP 141502
RQE 38665
 Link de entrevista da Dra. Anna Cecília Andriolo para o programa "Escola do Amor" da TV Record : aqui

0 comentários:

Postar um comentário